• Vinicius Soares

De quase eliminado a finalista: a arrancada do Corinthians

Timão pode conseguir o primeiro tetracampeonato da era profissional do Paulistão


Domingo, 15 de março de 2020. 10ª rodada do Campeonato Paulista. O Corinthians recebia o Ituano em sua arena, já sem público devido à pandemia, e empatava em 1x1. Naquele momento, era o quinto empate da equipe, que tinha somente 2 vitórias em 10 jogos. Para se classificar, o Timão precisava de vencer suas duas partidas finais e torcer para que o Guarani fizesse apenas 1 ponto em 2 jogos. Com essa difícil combinação, e a falta de bom futebol dos comandados de Tiago Nunes, a probabilidade se ser eliminado logo na primeira fase era alta.


Mas quem disse que o Corinthians desiste diante da adversidade? Para o Corinthians, nunca foi fácil. Não foi fácil sair da fila em 77, com o histórico gol de Basílio, para enfim conquistar um título depois de 23 anos de jejum. Não foi fácil esperar até 1990 para vencer o Brasileiro com um time que ninguém acreditava. Não foi fácil a longa espera dos corintianos para serem libertados, em 2012. A camisa e a história do Corinthians não permitem que se desista diante da adversidade.


E o Corinthians não desistiu. Tiago Nunes mudou a forma da equipe jogar no retorno após a paralisação pela pandemia do novo coronavírus, adotando uma forma mais cautelosa de jogo, pois mais que um futebol bonito, o Timão precisava da vitória. E elas vieram. A primeira na arena, no derby contra o Palmeiras, por 1x0, gol de Gil, que contou com falha do goleiro Weverton e Cássio garantindo os 3 pontos (ironia do destino, já que o estádio foi vandalizado por torcedores palmeirenses, que escreveram nas traves "Cássio frango"). A segunda foi fora de casa, contra o Oeste, por 2x0, gols de Danilo Avelar e Éderson, que saiu do banco e acertou um lindo chute de fora da área. Em ambas os jogos, o Corinthians foi criticado por apresentar um futebol mais próximo de Fábio Carille do que de Tiago Nunes, mas a missão foi cumprida. Depois de fazer sua parte, faltava ainda torcer contra o Guarani, que perdeu suas duas partidas, contra Botafogo-SP, naquele momento o lanterna do Paulistão, e São Paulo. Deu certo. Da forma mais "corintiana" possível, o Corinthians avançou.


Nas quartas de final, o confronto foi contra o Red Bull Bragantino, time de melhor campanha e com alto investimento do energético. O favoritismo era todo do Massa Bruta, mas o que se viu foi um Corinthians mais sólido defensivamente e apresentando um melhor futebol que o Braga. Tomando o posto de titular de Camacho, Éderson abriu o placar com menos de um minuto de jogo, contando com grande falha do ex-Corinthians Julio César, e Jô, reestreando em sua 3ª passagem pelo clube, fechou o placar no Morumbi, 2x0. Jogando sem a pressão da péssima campanha da primeira fase, foi notória a evolução do time de Parque São Jorge tanto ofensivamente, defensivamente: dos 20 chutes do Bragantino, somente um chegou à meta defendida por Cássio. Estava claro que, a partir daquele momento, o Corinthians entrava definitivamente na briga pelo título paulista.


Na semifinal, o Corinthians recebeu o Mirassol, maior zebra do campeonato, que havia perdido 18 atletas durante à pandemia, e mesmo assim, venceu o São Paulo por 3x2, no Morumbi, com dois gols de Zé Roberto, que havia sido chamado para jogar um dia antes. Mesmo com o favoritismo claro sobre o atual tricampeão paulista, não se poderia subestimar a equipe do Mirassol. No primeiro tempo, o Timão parou na eficiente marcação do time de São José do Rio Preto, mas na segunda etapa, acelerou o jogo e criou várias chances de gol. Até que ele saiu: aos 26, novamente Éderson, de fora da área, fez Corinthians 1x0. Outras oportunidades de gol foram criadas, mas o placar permaneceu o mesmo. Corinthians na final pelo quarto ano consecutivo.

Éderson marcou 3 gols nos últimos 3 jogos (Foto: Rodrigo Coca/Corinthians)


Depois de 4 vitórias em 4 jogos, com 6 gols marcados e nenhum sofrido, o ambiente e a confiança do Corinthians agora são outros. O time que antes era desacreditado a classificar ao mata-mata, agora chegou à final do Paulistão contra seu maior rival Palmeiras, que sofre ainda para encontrar um substituto para Dudu, e que não convencendo em seus jogos. Uma campanha histórica do Timão, que pode culminar no primeiro tetracampeonato consecutivo da era profissional do Campeonato Paulista. Depois desta epopeia corintiana, é possível chegar à seguinte conclusão: nunca duvide do Sport Club Corinthians Paulista.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo