• Bernardo Marchiori

O casamento perfeito entre Vardy e Leicester

Na última rodada da Premier League, Jamie Vardy alcançou a marca dos 101 gols na história da liga. Essa foi apenas mais uma das conquistas do atacante no Leicester.


Vardy e o troféu pelos 100 gols. (Imagem: Reprodução/Site oficial Leicester)

Com o Liverpool já campeão e as corridas para a classificação em competição europeia e contra o rebaixamento, a temporada 2019/2020 da Premier League está perto de ser encerrada. E a cada rodada que passa, acontecimentos históricos confirmam que essa edição não é apenas mais uma como qualquer outra - e, sim, uma daquelas que ficará marcada com protagonismo na riquíssima trajetória de uma das melhores ligas do mundo. Em jogo realizado no último sábado (4), o Leicester City conseguiu sua primeira vitória após a retomada do campeonato em meio a pandemia do coronavírus. A partida, realizada na casa dos Foxes (o belo King Power Stadium), terminou com o placar de 3x0 e, com os 3 pontos conquistados, a equipe se manteve na terceira colocação, visando a UEFA Champions League para a próxima temporada.


Mas a vitória do Leicester ficou longe de ser o acontecimento mais memorável do dia. Isso porque Jamie Vardy, camisa 9 do clube, alcançou um feito de expressão absurda: o inglês atingiu a marca de 100 gols na Premier League - e ainda fez o 101º no mesmo jogo. Em uma lista com apenas 29 nomes, Vardy ainda possui média de gols por jogo maior que grandes nomes, como Didier Drogba, Michael Owen, Robbie Fowler, Andy Cole e Wayne Rooney, fora outros craques.


Após ser dispensado na base do Sheffield Wednesday, Jamie passou por diversas divisões da Inglaterra e sempre se destacou, até ser comprado pelo Leicester em 2012. Foi muito criticado após a sua primeira temporada no clube do leste da Inglaterra por não ter rendido o esperado e não estar na forma ideal, mas já no ano seguinte foi um dos principais nomes do time e ajudou na conquista da segunda divisão inglesa.


O que aconteceu na Premier League é história: título inédito para os Foxes logo após uma temporada de quase rebaixamento, recorde de gols em partidas consecutivas (superando Ruud Van Nistelrooy), convocação para Eurocopa e Copa do Mundo devido à essas brilhantes atuações e, mais recentemente, a inclusão do seu nome na lista de 100 gols ou mais marcados na história da liga. Além de ser um dos poucos jogadores que permaneceram no elenco após a campanha inesquecível na temporada 2015/2016, Vardy é, sem dúvidas, um dos maiores nomes da história do clube. E a união formada entre Jamie e o Leicester surgiu no momento perfeito para a ascensão de ambos.

Imagem: Reprodução/Sports Illustrated

O atacante foi comprado pelo clube com apenas 25 anos e sem nenhum reconhecimento no mundo do futebol. Chegou a conciliar o papel de jogador com o de trabalhador em uma fábrica e passou por momentos conturbados durante sua vida. Quando chegou ao Leicester, ameaçou desistir de sua carreira após a primeira temporada, mas foi convencido por Nigel Pearson e seu assistente Craig Shakespeare a permanecer na equipe. E que excelente escolha fez Jamie, diga-se de passagem.


Conseguiu ser importante em todas as temporadas seguintes e foi protagonista na ascensão meteórica dos Foxes. Diferentemente de nomes como N'Golo Kanté, Riyad Mahrez e Danny Drinkwater, Vardy decidiu permanecer no Leicester - e decididamente não foi uma má escolha, muito pelo contrário. Ele certamente não teria o destaque que conquistou após anos brilhando pelo clube que não apenas o colocou na elite do futebol inglês, mas também o deu forças para se manter no mais alto nível do esporte. Sem sua transferência para lá, Jamie poderia continuar sendo apenas mais um atacante brilhando em divisões inferiores no país, diferentemente deste que se destaca em um dos campeonatos mais disputados do mundo e consegue se posicionar em uma prateleira recheada de craques, como Alan Shearer, Sergio Agüero, Thierry Henry e diversos outros.


Mas como toda boa relação futebolística, a história entre Vardy e o Leicester é uma via de mão dupla. Da mesma forma que o clube colocou o atacante nos holofotes, a recíproca é verdadeiríssima. Antes da famosa temporada do título da Premier League, os Foxes haviam figurado entre os quatro primeiros da tabela em apenas três ocasiões. Sempre foi considerado um clube de médio porte no país e precisava de uma cara nova para tentar se estabelecer na elite com um brilhantismo que nunca tinha demonstrado. E foi em 2010 que a história começou a favorecê-los.


Após a compra do clube por um grupo asiático liderado por Vichai Srivaddhanaprabha, foi anunciado que seriam realizados investimentos pesados para que o Leicester se tornasse um time de expressão na Inglaterra - o que, de fato, aconteceu. Mas o que não se esperava é que, por pouco mais de 1 milhão de euros, o clube comprou um os maiores ídolos de sua história. Jamie Vardy trouxe à equipe suas principais características, as quais seriam extremamente importantes no troféu inédito da primeira divisão, sua maior conquista de todas: garra, intensidade e, principalmente, a mentalidade de não desistir nunca.


Sem essas qualidades, certamente os Foxes não seriam tão regulares na vitoriosa campanha. Era um time que pouco ficava com a bola, mas quando a tinham conseguiam ser bastante eficientes, especialmente Vardy, vice-artilheiro do campeonato junto com Agüero. A inspiração no estilo de jogo do camisa 9 resiste até hoje e ainda coloca o Leicester no patamar de brigar por vaga em competições europeias. A contratação de Jamie já rendeu muitos frutos ao clube, que já é considerado por muitos como incluso no "big seven" inglês, e, ao que tudo indica, ainda não teve a história concluída.

Jamie na conquista da Premier League. (Imagem: Reprodução/Metro UK)

É nítido que, da mesma forma que Jamie Vardy necessitava do Leicester para alavancar sua carreira, o Leicester precisava da presença dele para se tornar um clube expressivo na Europa. E, com muito sucesso, a parceria entre ambos permanece vivíssima e prometendo gerar muitas alegrias ainda nos torcedores dos Foxes.


A falácia de que um jogador precisa de um time grande para crescer no cenário do futebol mundial foi, mais uma vez, desconstruída com essa união perfeita aos olhos do clube e do jogador. Afinal, em intensa sintonia, mais um ídolo nasceu e a equipe em que ele brilhava - e brilha - subiu de patamar e nunca mais será analisada com os mesmos olhos de antes. Bom para Vardy, que tem como os 101 gols na Premier League apenas mais uma de suas grandes conquistas no Leicester. E, claro, bom para o Leicester, que cresce a cada temporada com Vardy em seu elenco.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo