• Giovana Erthal

O retorno da Premier League

Equipes inglesas aprovam cronograma estreito e protocolos de higiene para a retomada das partidas.


Henderson e Wijnaldum em treino do Liverpool // Fonte: Instagram (@jhenderson)


O campeonato inglês retornará no dia 17 de junho, com dois jogos atrasados da 28° rodada. A volta será marcada pelo confronto Manchester City x Arsenal e Aston Villa x Sheffield United. O período de paralisação, em decorrência da pandemia do coronavírus, se estendeu por três meses e estimulou os clubes a transformarem suas rotinas, visando o bem dos jogadores e dos funcionários. Algumas iniciativas foram criadas para ajudar o Serviço Nacional de Saúde (NHS), tal qual o Chelsea disponibilizar o seu hotel que fica dentro do Stamford Bridge como acomodação aos funcionários da área médica e a campanha #PlayersTogether, que objetivava arrecadar fundos para o sistema público de saúde, e foi difundida pelos atletas.

O tão aguardado retorno dependia de uma estabilização dos casos positivos no Reino Unido e da autorização do Governo Inglês, a qual foi dada no dia 11 de maio. A partir do dia da permissão, a Federação, junto às equipes, trabalhou em protocolos de segurança e planejou as datas para a volta. As medidas de higiene seguem o padrão adotado pelas grandes ligas europeias, como portões fechados, entrada separada das equipes em campo e aplicação de testes nos atletas antes dos jogos.

A animação pelo regresso não só ocorre nos torcedores, mas a própria Premier League precisava que a temporada 2019/2020 fosse concluída para não aumentar um prejuízo bilionário. Uma parte significativa do impacto financeiro é oriunda dos contratos televisivos, referentes às transmissões dos jogos. Com a retomada do calendário, a expectativa se volta ao Liverpool, líder absoluto com 82 pontos, que já é tido como o campeão, restando apenas saber quando será coroado. A disputa pelas vagas da Champions League segue acirrada e indefinida, gerando curiosidade para se descobrir o desfecho, assim como a luta para escapar do rebaixamento, que também conta com emoção nesta reta final de campeonato.

O planejamento de retomada mostrará o grau de rigidez adotado pelos responsáveis da liga e dos clubes em um lugar que soma mais de 20 mil mortes pela Covid-19. O futebol retorna à Inglaterra com um gosto agridoce: a alegria de novamente ver seu time em campo, mas também a angústia de não poder incentivá-lo no estádio.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo