• Antônio Cláudio Rodrigues

Uma joia está sendo lapidada


Zidane orienta Vinícius (Imagem: Apo Caballero)
Zidane orienta Vinícius Júnior (Imagem: Apo Caballero)

O processo de lapidação tem como objetivo melhorar e, consequentemente, valorizar uma pedra preciosa, destacando-a e ressaltante suas qualidades. O modo de lapidar uma joia varia de acordo com as características de sua matéria prima, assim como do uso que se deseja dar a ela.


No futebol há um trabalho parecido. Um jovem jogador de grande potencial deve receber cuidados especiais, focados no seu desenvolvimento, aperfeiçoando o que tem de bom e corrigindo os erros. E é claro, o tempo necessário para essas “preciosidades” se transformarem em “joias prontas” não é exato. Muitos nem chegam ao estágio final.


"Lesedi La Rona" o maior diamante bruto do mundo (Imagem: Lucas Jackson/Reuters)

Nesse contexto, um nome é motivo de discussões há, pelo menos, 3 anos: Vinicius Junior (19). O atacante foi revelado pelo Flamengo, onde jogou dos 11 aos 18 anos, e vendido ao Real Madrid, quando atingiu a maioridade. Desde muito cedo o brasileiro era tido como uma grande promessa do futebol, observado e desejado pelos maiores clubes do mundo.


O alto preço e as incertezas


Para quem está familiarizado com o futebol, é normal atletas tão novos, antes tidos como craques na base, não terem o desempenho esperado entre os profissionais. Isso se deve a diversos fatores e, muitas das vezes, não é por falta de talento.


É fato: os 45 milhões de euros pagos pelo Madrid por Vinícius é bastante acima do valor que um adolescente de 16 anos, idade com a qual ele foi vendido pelo Flamengo, realmente vale. Negócios desse tipo são arriscados. Mas, é óbvio que “Vini” tem talento de sobra. E investimentos em jogadores tão novos são baseados, primeiramente, em seu potencial, no que podem se tornar e no quão disputados eles são por outras equipes, o que acaba inflacionando os preços.


Ou seja, Vinícius Jr. custou o que custou, também, pela concorrência do Barcelona. E, para complementar o contexto, anos atrás o Real Madrid perdeu as disputas pela contratação de Neymar e Gabriel Jesus.


O entendimento, então, era de que não se podia deixar escapar mais essa promessa. Vinícius não é produto da mídia, como muitos ainda insistem em dizer.


Gabriel Jesus e Neymar acabaram optando, respectivamente, por Manchester City e Barcelona (Imagem: UOL)

Um pouco da trajetória


O ponta esquerda, nas divisões de base do Flamengo e seleção brasileira, conseguiu se destacar em categorias acima da sua idade. Exemplo disso foi a única Copa São Paulo de Futebol Júnior que disputou, em 2017. Vinicius Júnior foi um dos principais destaques em um torneio sub-20, tendo apenas 16 anos. E foi a única edição deste campeonato que disputou. Logo em seguida já foi promovido ao time profissional do rubro-negro carioca.


Inegavelmente casos assim, normalmente (não é sempre), acontecem com quem tem talentos especiais; diferenciados. E, apesar da imaturidade e certos problemas técnicos, “Vini” teve bons momentos no seu primeiro ano como profissional.


O garoto, em 2018, era titular do Flamengo, sendo um dos melhores jogadores do time, antes de se transferir para o futebol europeu. No Real, foi alento para a torcida durante a pior temporada do clube em décadas. E, de janeiro para cá, sobretudo desde o retorno de La Liga, Vinícius tem sido fundamental para o atual líder do Espanhol


Vinícius foi decisivo na Libertadores de 2018, marcando 2 gols diante do Emelec (Imagem: AFP)

Pontos fortes e fracos


Com certeza o “garoto do ninho” tem muito o que aprimorar. Fala-se de suas tomadas de decisões e finalizações não é à toa. Por essa razão, os números em sua carreira não enchem os olhos (são 27 gols e 17 assistências em 140 jogos oficiais como profissional). No entanto, a evolução de seu jogo é evidente nos últimos meses, inclusive na parte defensiva, o que tem sido alvo de elogios do técnico Zinedine Zidane.


Sem dúvida seu potencial sempre foi muito nítido. O jovem é forte fisicamente (e cada vez mais), muito rápido, tem bom drible curto e não se esconde do jogo, ademais de demonstrar uma enorme vontade de estar sempre aprendendo. Ele pode levar perigo ao adversário a cada momento que parte para o mano a mano, sendo uma excelente fonte de criação de chances claras de gol. Escolhendo corretamente suas ações e executando-as bem, o brasileiro poderá ser um dos melhores do mundo.


Pela idade, é provável que Vinícius Jr. ainda oscile entres bons e maus momentos. É preciso ter paciência. E, em seu atual clube, ele aparenta ter respaldo do técnico e diretoria, visto que nesta temporada já teve uma fase ruim, a qual passou e agora é um jogador indispensável.


Continuando nessa pegada, a promessa de São Gonçalo logo será realidade e terá vaga cativa na seleção do Brasil. A lapidação não pode parar.


Vinícius marcou contra o Barça e abriu o caminho para a vitória (Imagem: GettyImage /Gonzalo Arroyo Moreno)





6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo