• Vinicius Soares

Zidane: craque dentro e fora dos campos

Francês aumenta sua coleção de títulos pelo Real Madrid, mas não tem o devido reconhecimento


Que Zinédine Zidane foi um craque enquanto jogador, todo mundo sabe. Carrasco do Brasil nas Copas de 1998 e 2006, além de campeão mundial neste primeiro ano. Fez parte do elenco do Real Madrid, conhecido como "Os Galácticos", no início dos anos 2000, entrou pra seleta lista de ídolos do clube merengue. O francês se despediu da carreira de uma forma inesquecível: na final da Copa de 2006, marcando um gol de cavadinha e sendo expulso na prorrogação, após dar uma cabeçada em Materazzi. Por sua linda carreira, recebe todos as homenagens possíveis e merecidas no mundo do futebol.


Porém, Zidane não é apenas um craque aposentado. Também é técnico e extremamente vitorioso, assim como era enquanto jogador. Começou sua carreira na beira dos gramados em 2013, como auxiliar de Carlo Ancelotti, e conquistou sua primeira Liga dos Campeões. No ano seguinte, assumiu o Real Madrid Castilla, e ficou até janeiro de 2016, quando foi promovido ao time principal dos Merengues, após a demissão de Rafa Benítez do comando do clube. Com os "mais velhos", entrou para a história. 3 Champions League em sequência, nas temporadas 2015/16, 2016/17, e 2017/18, além de uma La Liga em 2016/17, 2 Supercopas da Europa e dois Mundiais de clubes em 2016 e 2017, e uma Supercopa da Espanha em 2017. Deixou os Blancos no fim da temporada 2017/18, e retornou na temporada seguinte, em março de 2019, no lugar de Solari, demitido. Jà nessa segunda passagem, Zidane conquistou mais uma Supercopa da Espanha, em 2020, e recentemente a La Liga 2019/20, com uma rodada de antecedência.


Para saber mais sobre a La Liga 2019/20, clique aqui: https://www.nosacrescimos.com.br/post/a-liga-das-estrelas-nunca-decepciona


Zidane após a conquista da Champions 2017/19, em Kyev


Porém, mesmo tendo um dos currículos mais vitoriosos da história do futebol com tão pouco tempo de trabalho, Zidane, muitas vezes, não recebe todo o reconhecimento que lhe é de direito. Suas equipes não apresentam um futebol vistoso, que dão espetáculo sempre que entram em campo, como os times treinados por Guardiola, e talvez por isso é derrotado nas comparações com o espanhol, mas apresenta um jogo eficiente e absurdamente vitorioso, empilhando taças, seja na Espanha ou na Europa.

Durante sua primeira passagem pelo Real Madrid, a equipe treinada por Zidane era fatal nas fases de mata-mata da Liga dos Campeões, eliminando grandes equipes como Bayern, Juventus e Atlético de Madrid, duas vezes cada, além dos ingleses Liverpool e Manchester City. Com o brilho de Cristiano Ronaldo e companhia, conseguia grandes vitórias

joga do fora de casa, como o 3x0 sobre a Juventus, em Turim. O poder de decisão daquele time era assustador, tornando-o praticamente imbatível quando se fala em torneios eliminatórios


Já em sua segunda passagem, sem Cristiano Ronaldo, e com jogadores de nome que não rendiam o esperado, como Bale e James Rodríguez, além dos jovens brasileiros Rodrygo e Vinicius Júnior, Zidane montou um time forte defensivamente, com Courtois e Sergio Ramos se destacando com grandes atuações, e com um ataque muito eficiente, com Benzema assumindo o protagonismo da equipe, marcando muitos gols e distribuindo assistências para seus companheiros. Com um futebol muito seguro e consistente, Zidane levou os Merengues ao 34º título espanhol, com uma arrancada no retorno do campeonato, após a parada do futebol pela pandemia de COVID-19, de 10 vitórias consecutivas em 11 jogos, e agora vai em busca de mais um títuo de Liga dos Campeões, mas para isso, precisa eliminar o Manchester City no Etihad Stadium, e reverter a derrota por 2x1, sofrida no Santiago Bernabéu.


Zidane monta equipes de acordo com a circunstância de cada jogo, estudando cada adversário e adaptando seu time para diferentes situações que serão enfrentadas, mudando escalações, formações e padrões de jogo. Esse alto poder de mutação é um dos grandes trunfos que Zizou tem em suas mangas, sendo essa sua principal virtude. Por essa qualidade, e por todos os títulos que conquistou em tão pouco tempo de carreira, Zinédine Zidane está na história do futebol tanto como jogador, quanto como técnico, e merece todo o reconhecimento e homenagens do planeta bola.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo